O Novo Coranavírus (COVID-19) e Animais de Companhia

Informações recentes sobre a pandemia reforçam que os animais de companhia não são transmissores sintomáticos da COVID-19. Porém para assegurar a saúde dos nossos pets, é recomendado que devemos restringir o contato com animais de companhia enquanto estivermos doentes com a COVID-19, assim como fazemos com outras pessoas. A princípio estudos mostram que os animais de estimação não transmitem a COVID-19, porém os animais podem se comportar como um meio de contato que pode carrear o vírus no seu pelame atuando semelhante a uma superfície de contato (chão, maçanetas, corrimão entre outros).

É indicado que evite o hábito de acariciar, beijar, ser lambido e compartilhar alimentos se você estiver doente e use uma máscara facial, o contato próximo com seu animal pode expor outras pessoas que também venham a ter contato com ele assim como objetos da sua casa, portanto é orientado que o contato com os animais domésticos também sejam evitados até que o exame da pessoa doente seja negativo.

CUIDADOS:

– A saúde dos pequenos não pode ficar esquecida porém teremos que ser cautelosos, antes de trazê-lo a clínica ou solicitar o serviço de transporte ligue e nos informe o problema para melhor orientação e horário evitando aglomerações e se estiver com sintomas de gripe, peça para outra pessoa acompanha-lo, nossos atendimentos veterinários, banhos e tosas estão sendo realizados somente com hora marcada;

– Faça banhos a frequência adequada para o tipo de pelagem e estilo de vida para que seu pet permaneça limpo;

– Evite passeios em excesso, quando necessário procure fazê-lo ao ár livre e de forma rápida e objetiva para atender ás necessidades fisiológicas do animal reduzindo a quantidade de saídas, evite contato com outros animais, zele pelo seu animal e pela saúde de todos evitando contato com muitas pessoas sem necessidade;

– Evite dividir alimentos com seu animal, beijá-lo e deixá-lo lamber, lembre-se sempre de frequentemente lavar as mãos e passar álcool gel nas mesmas antes e após interagir com seu pet e use máscara se estiver doente e mantenha-se afastado do seu animal até que se recupere por completo (em média 14 dias).

As informações e os conselhos mais atualizados sobre a infecção humana podem ser encontrados nos seguintes sites:

• Organização Mundial da Saúde (OMS) (www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus- 2019)
• Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC)
(www.cdc.gov/coronavirus/about/index.html)

As informações mais atualizadas relacionadas à saúde animal podem ser encontradas no seguinte site: 

* Organização Mundial para a Saúde Animal (OIE): www.oie.int/scientific-expertise/specific- information-and-recommendations/questions-and-answers-on-2019novel-coronavirus/

Fonte: 

WSAVA (Comitê Cientifico e de Saúde Única da WSAVA – Associação Mundial de Clínicos Veterinário de Pequenos Animais);

Informativo CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária);

OMS (Organização Mundial de Saúde);

* Coronavírus (COVID-19) em animais de companhia:

Mediante informações mais atuais em relação a pandemia a mídia tem vinculado que gatos, cães e até felídeos silvestres (cinco tigres e três leões) testaram positivos para o novo coronavírus (SARS-CoV-2) motivo da COVID-19, ainda está em discussão importante a possibilidade de que esses animais possam ter sido realmente infectados porém não concluído,  devendo ser discutido principalmente quais as medidas cabíveis a serem tomadas por seus veterinários e tutores. Existem também relatos esparsos de transmissão da COVID-19 do humano para seu pet (Bélgica, Hong Kong e EUA), devemos nos atentar cuidadosamente á possibilidade de que gatos possam ser infectados pelo vírur SARS-CoV-2, entretanto estudos científicos bem delineados devem esclarecer o real papel epidemiológico dos animais domésticos na pandemia de COVID-19. Até o presente momento não existem evidências de transmissão do coronavírus SARS-CoV-2 dos animais domésticos para humanos, apenas estudos em andamento com possibilidade da transmissão inversa (do humano para o animal). Entendemos portanto que, não devemos ter medo ou pânico com relação aos animais domésticos frente ao papel de transmissão da COVID-19, não temos também indicação de realização de testes nos animais de companhia.

Fonte: (http://crmvba.org.br/nota-tecnica-aos-medicos-veterinarios-esclarece-mecanismos-de-infeccao-e-a-relacao-entre-animais-de-estimacao-e-a-covid-19/ M.V. Alexandre Daniel mestre em Clínica Veterinária pela FMVZ da Universidade de São Paulo (USP) e diplomado pelo American Board of Veterinary Practitioners(ABVP) como especialista em Medicina Felina; Marcelo Demarchi Goissis, doutor em Ciência Animal pela Michigan State University, com pós-doutorado no Hospital for Sick Children, Toronto (Canadá), e mestre em Reprodução Animal pela FMVZ (USP) onde ocupa, atualmente, o cargo de professor doutor no Departamento de Reprodução Animal; e Paulo Eduardo Brandao, virologista, mestre e doutor pela FMVZ (USP), universidade na qual leciona o tema “Doenças Infecciosas”.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *